Dificuldades com a Amamentação: O Que Fazer?

O aleitamento materno proporciona para a criança diversos benefícios imunológicos, nutricionais e emocionais, reforçando o vínculo com a mãe. Além disso, é importantíssimo para o adequado crescimento e desenvolvimento das estruturas orofaciais do bebê, favorecendo o crescimento harmônico das estruturas ósseas da face e garantindo espaço na boca para o correto posicionamento dos dentes. E ainda, influencia diretamente o desenvolvimento da linguagem e da audição.

Porém, muitas vezes, a amamentação não ocorre da forma que todas nós, mulheres, sonhamos. Recém-nascidos saudáveis, ocasionalmente apresentam dificuldades relacionadas a amamentação, decorrentes de alterações transitórias de sucção ou mesmo de algumas características individuais anatômicas que dificultam a pega adequada entre a boca do bebê e a mama de sua mãe. Podendo gerar traumas mamilares, pouco ganho de peso e até desmame precoce.

Embora essas disfunções orais e/ ou questões relacionadas e pega e posicionamento sejam passíveis de serem revertidas precocemente, as ações ente mãe/bebê nas primeiras mamadas rapidamente se tornam hábitos bem estabelecidos, difíceis de mudar, principalmente em relação ao padrão de sucção. A avaliação detalhada dessa mamada e ações específicas para sua correção devem ser feitas logo no início da amamentação.

Os bebês que apresentam disfunções orais e, consequentemente, a dificuldade em estabelecer o aleitamento materno, podem necessitar de manobras não usuais e exercícios orofaciais, além de acompanhamento por um Fonoaudiólogo consultor em aleitamento materno, com bastante experiência prática. Esse atendimento especializado se baseia na estimulação oral individualizada, envolvendo sequência de exercícios orofaciais, incluindo manobras e ajustes. Os exercícios e/ou manobras devem ser aplicados de modo contínuo, desde que a mãe ou familiares sejam bem orientados. A correção das disfunções orais pode ser fácil e ocorrer em poucos dias.

 

Segue algumas dicas:

– Nos primeiros meses o bebê não tem um horário para mamar, então, amamente-o sempre que for necessário (livre demanda);

– A pega adequada deve ser realizada de modo que o bebe abocanhe o mamilo e a auréola da mama (como se fosse uma boca de peixe);

– Deixe seu bebê em posição mais vertical durante a amamentação para evitar problemas no ouvido como as otites;

– Deixe que primeiro ele esvazie bem uma mama, para só depois oferecer a outra, se ele quiser. O leite posterior, do fim da mamada, é mais rico em gordura satisfazendo mais o bebê e o ajudando a ganhar mais peso;

 

Se mesmo depois dessas dicas ainda houver dúvidas, consulte um fonoaudiólogo.

Marília de P. Giorgetti
Fonoaudióloga
CRFa: 18724
Cel: (19) 99103-5345 / (11) 94855-2574

Natália Calmon
Fonoaudióloga
CRFa 2: 12736 -1
Cel: (21) 993987410 / (11) 971697410

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *